Ungrcognizable man in the kitchen preparing beef steak

Existem hábitos presentes na rotina doméstica que, na maioria das vezes são herança de gerações anteriores e que nem sequer paramos para questioná-los. Um hábito que muitas pessoas apresentam em comum é o de lavar as carnes antes de temperá-las e cozinhá-las.

Muitos não sabem que esse ato tão simples pode ser um grande erro. Esse equívoco é comum e muito cometido pela maioria das pessoas, a prática favorece a contaminação cruzada, que é transferência de microrganismos patogênicos de um alimento contaminado para outros que não estejam contaminados. Isso ocorre porque a água não é eficiente na remoção de bactérias. Pelo contrário, ela ajuda na proliferação de patógenos responsáveis por doenças transmitidas por alimentos.

As bactérias se proliferam quando entram em contato com água e proteínas provenientes da carne. Por isso, durante o enxágue da carne na pia doméstica, os microrganismos não estão sendo removidos, mas sim, se espalhando por uma área ainda maior do que a que se encontravam antes. Além de ajudar as bactérias se espalharem, ao lavar a carne, a água que flui na pia e respinga nas louças e alimentos ao redor se torna um agente transmissor, transportando as bactérias para todos os locais com que tiverem contato. Isso é especialmente grave no caso dos vegetais da salada, que são consumidos crus. 

Outro ponto importante é que ao lavar a carne, se remove dela grande parte dos nutrientes que são solúveis em água. Deixando a carne esbranquiçada desprovida em nutrientes.

Desta forma, durante a manipulação e preparo dos alimentos em cozinhas domésticas, a aplicação de procedimentos corretos de higienização é de grande importância para a redução da contaminação microbiológica, diminuindo assim o risco de contaminação cruzada, com reflexos na saúde dos consumidores. Dos métodos utilizados para a limpeza de superfícies, o emprego apenas de sabão e água nem sempre resulta na descontaminação. Por fim, a população deve ser orientada em relação à adoção de práticas que evitem a disseminação dos patógenos em suas cozinhas, garantindo a segurança de suas refeições e a não ocorrência de doenças transmitidas por alimentos.

*Mestranda em Alimentos, Nutrição e Saúde. Possui especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia – CRN3 27940. Escreve para o Dourados News.

Fonte: https://www.douradosnews.com.br/colunistas/saude/por-que-nao-devemos-lavar-a-carne/461624/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui